Tenho medo de falar Inglês, e agora?

Tenho medo de falar Inglês, e agora?

fevereiro 23, 2019 0 Por admin

A maioria dos estudantes de inglês, independente do nível em que eles estejam, apresentam um certo medo de falar. Mesmo que já saibam bastante e já tenham uma boa base da língua, ficam receosos de colocar o conhecimento para fora.

Mas por que isso acontece? Ao longo da minha experiência estudando e ensinado Inglês, eu identifiquei 3 tipos de situações diferentes:

Situação 1. Há aqueles alunos que são muito tímidos e não gostam de falar em público. Ou, mesmo os que são extrovertidos, quando se trata de falar em outra língua, desenvolvem a timidez ou um certo medo de se expor. Os principais motivos para isso têm a ver com o nosso ego. Somos orgulhosos e nosso ego tenta nos impedir de cometer erros e de passar por uma situação de constrangimento.

Situação 2. Há também os que ainda não possuem a base necessária da língua para iniciar uma conversa ou que já possuem um excelente vocabulário, mas que aprenderam de forma errada, sem um método lógico e adequando, sendo que são incapazes de formar frases. E quando estão em alguma situação em que tenham que manter uma conversação em Inglês, simplesmente travam.

Situação 3. Há ainda aqueles que possuem um bom vocabulário, tem condições de formar um bom número de frases e já tem um conhecimento maior da língua. O que acontece é que eles ficam excessivamente preocupados em falar gramaticalmente correto. Esses acabam pensando demais antes de formar cada frase e são incapazes de fazer uma conversa fluir naturalmente.

Well, verdade seja dita: nós sabemos que o ser humano é muito crítico (e os brasileiros tem essa característica aguçada) e gosta bastante de julgar os erros alheios. Quando estamos em sala de aula, por exemplo, nos sentimos constrangidos ao falar em frente aos colegas. Alguns até já passaram por alguma situação de ser alvo de deboche por ter dito algo errado, o que gera uma espécie de trauma e associam o aprendizado de Inglês a algo ruim.

Isso gera uma grande insegurança e medo de seguir em frente.

Mas, não se preocupe! Sentir esse medo, esse frio na barriga é super normal e compreensível. Todo mundo passa por isso em algum momento na caminhada do aprendizado. O que você precisa fazer é identificar quais os motivos que te levam a travar na hora de falar e trabalhar nisso até que esse medo vá embora.

E eu vou te ajudar nisso!

Dicas para a Situação 1

Se você se encaixa nessa situação, ou seja, não se sente confiante para falar, pois sente vergonha, acha que vai falar errado e não quer passar por constrangimento, saiba que nem tudo está perdido.

O primeiro passo, porém, é aceitar que isso não passa de O-R-G-U-L-H-O. Sim, a verdade dói às vezes, mas como diz o ditado popular: “Aceita que dói menos”.

Nós passamos muito tempo da nossa vida criando a nossa imagem e trabalhando para que as pessoas nos achem legais, bacanas, inteligentes. Aí chega a hora de falar inglês, e a gente sente que não domina muito o assunto (mesmo que a gente já domine) e nosso cérebro fica nos dizendo que não sabemos o suficiente, que vamos passar vergonha, que vamos falar errado. E então o que fazemos? Não falamos! Travamos!

Afinal, nosso primeiro impulso é preservar a nossa imagem. Imagina o que não vão pensar de mim? Vão achar que eu sou burro! Vão achar que eu não sou capaz de aprender!

A solução para isso está em uma palavra bem pequeninha: DANE-SE! Dane-se o que vão pensar, dane-se que vão me julgar e se vão rir de mim.

Você tem que adquirir a consciência de que o seu objetivo de alcançar a fluência no Inglês tem que ser maior que o seu orgulho. Your goal needs to be bigger than your ego.

Na prática não é tão simples assim, eu sei! Mas você tem que dar o primeiro passo.

Vamos analisar o seguinte:

– Em uma determinada situação, você conta uma piada muito engraçada e todo mundo começa a rir de você.

– Já em outra situação, você fala algo errado em Inglês e todo mundo começa a rir de você.

Qual a diferença entre as duas situações? Na primeira, a sua intenção era ser engraçado e você está rindo também. Já na segunda, você não tinha nenhuma intenção de ser engraçado e você não está rindo junto.

Moral da história: o problema está na sua cabeça.

As pessoas não estão nem aí. Cinco minutos depois e ninguém se lembra de mais nada. É você que tem que virar a chave, mudar seu mindset e começar a rir de seus erros, levar a vida de forma mais leve. Aceite que todo mundo erra e que os erros são, nada mais, nada menos do que uma fase do aprendizado.

E uma fase importante, diga-se de passagem. Especialmente quando se trata de aprender Inglês, quando definitivamente quem fala e se permite errar é quem mais aprende. E aprende mais rápido! Quanto antes você se permitir errar e passar por essa fase, mais rápido você irá aprender a forma correta de dizer o que deseja.

Solução: fale, fale, fale!

Dicas para a Situação 2

Se você está mais para a situação 2, isso quer dizer que você já tem algum conhecimento da língua, mas simplesmente não consegue formar frases. Você sabe exatamente o que quer dizer, tem várias palavras soltas na mente, fica tudo na ponta da língua, mas não consegue juntá-las e formar um raciocínio fluído.

Talvez você tenha passado anos estudando em uma Escola Tradicional de Inglês e aprendeu bastante vocabulário, mas não aprendeu como usá-lo efetivamente. Essa situação é muito comum.

Não se desespere! Não culpe o professor, não se arrependa, achando que foi tempo perdido. Tudo bem, eu sei que talvez você já tivesse alcançado a fluência caso tivesse dedicado todo esse tempo a aprender da forma correta. Eu passei por isso. Mas agora temos que olhar para frente e entender que todo esse vocabulário será útil para a próxima fase do aprendizado. Neste caso, a próxima fase é quando você tem o click do idioma e começa a entender como formar frases.

O que fazer para começar? Fale sozinho! É isso mesmo que você leu. Faça frases na sua cabeça, pesquise e estude como dizer tudo o que você gostaria usando conversas mentais. Anote, revise. Além disso, ouça bastante diálogos do dia-a-dia e foque a atenção nas conexões usadas para juntar o vocabulário que você já tem e imite. Pense em Inglês, fale com quem puder, fale sozinho. Se for para ser maluco, que seja em Inglês. LOL!

Alerta: muitos alunos quando entram na próxima fase, começam a demostrar sintomas da Situação 1. Be awere! Não se deixe entrar nessa furada.

Solução: fale, fale, fale!

Dicas para a Situação 3

Se você está aqui, então quer dizer que você é um perfeccionista de plantão. Você já está pronto para falar e até consegue dizer algumas frases, mas quando o assunto complica um pouco, você começa a se preocupar com qual tempo verbal usar ou qual a preposição mais adequada para aquela situação. Enquanto você pensa nisso tudo, a conversa já ficou estranha e você está ali há 10 segundos pensando em como seria a maneira mais correta de dizer o que você queria dizer.

Aqui só há uma coisa a dizer: já faz tempo que está comprovado que perfeccionismo não é uma qualidade. É, sim, um defeito que nos bloqueia e impede de realizar grandes conquistas, iniciar grandes projetos, avançar no aprendizado da tão sonhada fluência no Inglês.

Nós temos, of course, que dar o melhor de nós mesmos em tudo que nos propusermos a fazer. Não estou aqui dizendo para fazer tudo de qualquer jeito, sem se preocupar com a qualidade. O que é importante entender é que na hora de falar, pensar demais na gramática atrapalha. Deixe a conversa fluir, acontecer. Se você não consegue elaborar no cérebro a forma correta para falar o que deseja, simplesmente diga do jeito que vier, do jeito que você sabe que vai conseguir se fazer entender, independe de estar 100% correto ou não.

Agora sim, a conversa fluiu e ninguém se importou se você usou um to em vez de “for”. Nesse processo, certamente você até aprendeu novas palavras e expressões durante a conversa. Olha que lega! E depois de passar por essa situação, você vai lá pesquisar e ver como teria sido a forma correta de falar. Com certeza o fato de ter vivenciado isso vai ter fazer gravar muito mais rápido “o jeito certo”.

Você já ouviu aquele ditado que diz que “a pressa é inimiga da perfeição”? Certamente sim! Mas então, quem é a amiga da perfeição? A prática! A prática vai te levar a falar gramaticalmente correto, sem que você tenha que fazer muito esforço para isso.

I promisse!

Solução: fale, fale, fale!

Como já vimos, a solução para o medo de falar Inglês é simples: falar inglês.

Independente do seu “diagnóstico”, o remédio é o mesmo.

Nessa fase de autodescoberta, é importante entender que, ao aprendermos qualquer língua (ou qualquer outra coisa), temos que dominar DOIS conceitos importantes: input e output.

Input, como a palavra já indica, significa tudo aquilo que você coloca para dentro. Ou seja, quando você lê, ouve, estuda sobre determinado assunto, você está absorvendo a informação, processando a informação para que ela faça sentido para você.

Output, por outro lado, é a fase seguinte. Você já leu, estudou, aprendeu e agora tem que colocar para fora. No caso do Inglês, colocar para fora significa falar.

Dito isso, para tornar o seu tratamento mais fácil, há uma série de hacks que servem para todas as situações e que vão te ajudar a dar os primeiros passos.

– Ao vencer esse medo de falar, você perceberá que as pessoas não estão preocupadas com a forma como você vai dizer cada coisa. Eu já estive em diversos países e tive contato com falantes de aproximadamente 10 línguas diferentes e pude notar uma característica em comum: lá fora o que as pessoas querem é se comunicar, fazer a conversa fluir, te ajudar. Ninguém vai te corrigir ou te julgar por ter dito algo errado.

– Investir no seu aprendizado é a melhor forma de vencer o medo. Criar a sua base para a fluência do Inglês, com dedicação, pode levar apenas 6 meses. Mas o aprendizado deve se estender para a vida toda. Esteja sempre atento a novas palavras, novos conhecimentos e pratique bastante, afinal: If you don’t use it, you loose it!

– No começo, crie situações nas quais você se sinta confortável para falar. Uma boa alternativa para ter contato com falantes nativos da língua Inglesa são os sites Italk e Cambly. São plataformas de aulas online, onde você pode escolher um professor, de acordo com um perfil detalhado disponível para você consultar. Lá, será só você e o professor e ninguém vai te julgar. Ele vai estar lá para te ajudar a falar e praticar, para que você adquira confiança para sair tagarelando nas outras situações.

– Aumente o seu Input. Vídeos, podcasts, áudios, tenha contato com a língua. Quanto mais input, mais fácil será para você identificar o que soa melhor na hora de falar, independente de lembrar o porquê das regras. Assim como no Português, muitas coisas a gente fala daquele jeito simplesmente porque é assim que se fala e não necessariamente a gente sabe o motivo.

Você sabe por que se fala “de vez em quando”? Não, né?

Você sabe o que significa? Com certeza!

E você fica se perguntando o por quê de ser falar assim? Não!

That’s it! Just do it!

– Escute a mesma coisa muitas vezes (pelo menos cinco vezes). Cada vez que se ouve a mesma coisa, se aprende algo diferente.

– Converse com você mesmo! Como já vimos, parece loucura, mas essa é uma técnica muito útil. Tire um tempo todos os dias e fale sozinho. Se possível, em voz alta. Descreva cada coisa que você vê, cada coisa que você vai fazer, etc. Cada vez que você se deparar com uma situação em que não sabe como dizer algo que você queira, pare e anote a expressão ou palavra e pesquise depois. Siga o seu monólogo sem se preocupar e estudar naquela hora.

– Tire um momento para relembrar tudo o que faltou no seu monólogo e pesquise, estude e descubra como se diz cada coisa. Anote alguns exemplos no seu ANKI para relembrar num outro momento e mandar esse conhecimento para a sua memória de longo prazo.

– Quando estiver em uma conversa, respire fundo, para controlar melhor as emoções e sorria sempre. O poder do sorriso é cientificamente comprovado. Faz você se sentir melhor e gera simpatia no interlocutor.

– Mantenha a coluna ereta. Essa postura transmite confiança e aumenta a credibilidade.

– Planeje o que vai dizer. Quando você sabe antecipadamente que vai passar por uma situação em que terá que falar Inglês, simule conversas, invente possíveis perguntas e prepare as suas respostas. Você vai ser sentir mais confiante e deixará menos margem para que a conversa vá para o campo do desconhecido.

– Visualize. Essa técnica complementa a anterior e é muito eficaz. Imagine a cena, o local onde você vai estar, as pessoas que estarão com você. Isso fará com que você se familiarize com o ambiente e tenha menos preocupações na hora de falar.

– Comece aprendendo as saudações. Iniciar uma conversa cumprimentando o interlocutor com confiança diminui a chance de já ficar nervoso logo no início. Aprenda também as despedidas para que você possa terminar a conversa de forma triunfal e sair com aquela sensação boa (uhullllll) de missão cumprida.

– Aprenda frases/expressões âncora, que serão úteis caso você não saiba exatamente como responder, como “interesting”, “that’s cool”, “really?”, “no way!”

– Estude frases de sobrevivência.

* Diga “Sorry?” quando não entender algo;

* “Can you repeat please?” e “Can you speak slower?”

* Quando você quiser saber uma palavra ou uma frase, pergunte: “What does it mean?”

 – Crie uma pequena apresentação sobre você mesmo. De onde você é, quantos anos tem, se é casado ou não, sua formação, etc. Pratique essa apresentação até se sentir confiante para falar de si mesmo, afinal, essas são as primeiras coisas que vão te perguntar em uma conversa informal.

 – Encontre formas mais fáceis de dizer frases complexas. Às vezes você vai montar frases complexas em Português e, na hora de colocar para fora em Inglês, você não sabe exatamente como conjugar cada verbo, traduzir cada palavra. Simplesmente diga da maneira mais simples que você conseguir. O importante é ser entendido.

 – Aprenda as diversas formas de se dizer uma determinada coisa para que você possa entender quando ouvir, mas escolha apenas uma forma para usar no seu dia-a-dia no começo. Não tente memorizar todas as formas de dizer uma mesma coisa. Uma só é suficiente para você poder expressar o que quer dizer.

– Leia textos em voz alta. Assim, você se acostuma com o som da sua voz e melhora a sua pronúncia. Quando você for falar, sentirá mais confiança e não achará estranho se ouvir em Inglês.

– Grave a sua leitura. Você poderá ouvir posteriormente para analisar a sua melhora e mensurar o seu progresso.

– Mantenha-se pensando em Inglês. No restaurante, no ônibus, no supermercado… Pense em Inglês durante as suas atividades cotidianas.  

– Foque nos seus pontos fortes e pare com os discursos negativos, que só travam o seu desenvolvimento. Você é tão capaz de aprender quanto qualquer outra pessoa. Reconhecer as suas capacidades ajuda a ser mais confiante.

– Aceite que vai haver situações em que você não conseguirá ser você mesmo no começo. Você quer contar piadas, ser engraçado, ser simpático, contar histórias e às vezes não vai sair. Algumas coisas vão permanecer não ditas. Aceitar que está tudo bem é a melhor saída para evitar a frustação e desmotivação e continuar melhorando.

Lembre-se! Fortune favors the bold. Speak up!

Autor do conteúdo: Camila Pinheiro – Coach de Idiomas e criadora da Itsup2you